Técnicas de Estudo

Como escolher a área para a 2ª fase da OAB

Por 1 de julho de 2016 Sem comentários

Dúvidas sobre como escolher a área para a 2ª fase da OAB surgem logo após a inscrição para o exame. Isso é perfeitamente natural, afinal de contas, ser aprovado no exame é, sem dúvidas, o primeiro passo para uma carreira de sucesso.

As áreas mais escolhidas pelos candidatos

No total, são sete opções: Direito do Trabalho, Direito Civil, Direito Administrativo, Direito Penal, Direito Empresarial, Direito Constitucional e Direito Tributário.

Ao longo das edições do Exame da OAB, os especialistas conseguiram identificar as áreas que mais são escolhidas pelos candidatos. Confira:

– 1º Lugar: Direito Constitucional

– 2º Lugar: Direito Civil

– 3º Lugar: Direito Tributário

– 4º Lugar: Direito Penal

– 5º Lugar: Direito Administrativo

– 6º Lugar: Direito Trabalho

– 7º Lugar: Direito Empresarial

Embora muitas pessoas apresentem uma dificuldade enorme em fazer a escolha da área para a 2ª fase da OAB, pois essa impacta diretamente na aprovação do candidato, o processo de decisão pode ser facilitado ao seguir algumas orientações básicas.

Guie-se pela sua afinidade

Dicas à parte, todos os professores de Direito afirmam que não há área mais fácil ou mais difícil. Esse não deve ser o fator determinante para a sua escolha, pois é a mais pura lenda!

Outro ponto importante é que, alguns candidatos se baseiam nas disciplinas com maiores índices em aprovação nos Exames da OAB anteriores.

Porém, essa estratégia pode se mostrar bastante ineficaz, uma vez que tais índices sofrem variações de uma prova para outra. Basta comparar os índices de uma determinada disciplina em, pelo menos, três edições anteriores.

Sendo assim, a melhor maneira de começar o processo de decisão da área para a 2ª fase da OAB é identificar os temas com os quais o candidato tem mais afinidade, partindo para a escolha por eliminação.

Ao escolher uma área de atuação com a qual você está em sintonia, lhe dará mais motivação para estudar e reunir conhecimento para o exercício da sua profissão após a sua aprovação. Nada melhor do que trabalhar em algo com que se identifica e se tem paixão.

Pense que, ao decidir por uma área, você viverá para ela pelo resto de sua vida profissional. Escolher uma área com a qual não se tem compatibilidade pode acabar resultando em insatisfação.

A escolha da área é pessoal

A orientação de mentores, professores e amigos próximos é muito valiosa. No entanto, não se esqueça que, no momento do exame, você e sua escolha estarão sozinhos.

Por isso, a escolha é pessoal, pois é a sua carreira – e a de mais ninguém – que estará em jogo daquele momento em diante.

Leve isso em consideração antes de aceitar a influência de outras pessoas na hora de sua decisão.

Leve em conta sua experiência com a área

Se você já possui contato com uma determinada área (ou mais), você poderá usar a sua experiência como termômetro para a sua escolha.

Por outro lado, se há alguma área que você não conhece suficientemente bem para determinar se tem ou não afinidade, busque informações que possam lhe dar um panorama sobre ela.

Afinidade e experiência equivalem à combinação ideal para uma boa escolha. Boa sorte!